segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Equipamentos de alerta em caso de grandes sismos

O Presidente do Governo dos Açores anunciou esta fim-de-semana que ainda neste ano serão ser instalados, nos corpos de bombeiros da região, equipamentos de alerta para eventos de grande magnitude sísmica.
Tais equipamentos permitirão, como disse, "uma comunicação automática e imediata às entidades e responsáveis em cada concelho e em cada ilha, melhorando o estado de prontidão com que cada uma dessas corporações deve responder em situações desse tipo."
Carlos César revelou também que, após a integração recente do serviço "112" na Protecção Civil dos Açores, numa articulação com a Polícia de Segurança Pública, essa integração, a funcionar já nas ilhas do grupos Ocidental e Central, vai ser estendida à ilha de S. Miguel.
Sendo muito importante manter o nível desse tipo de investimentos, para o Presidente do Governo é, no entanto, igualmente importante saber viver com os recursos disponíveis, numa superação que permita ultrapassar eventuais faltas de meios.
"É um esforço que não se deve confinar à ideia fixa, mas ilusória, de que uma instalação de bombeiros dá qualidade, por si só, ao serviço que os bombeiros podem prestar. Mais importante do que isso são as capacidades e as competências instaladas. Mais importante do que isso é a disponibilidade e a adequação dos equipamentos existentes e a formação de todos quantos, de forma profissional ou de forma voluntária, dão a sua colaboração nas acções que são empreendidas pelos corpos de bombeiros", acentuou Carlos César.

Fonte: JornalDiario

Autoridade Nacional de Bombeiros e Proteção Civil entrega viatura aos bombeiros de Odemira

A Autoridade Nacional de Bombeiros e Proteção Civil, com o apoio do Governo Civil de Beja, formalizou esta segunda-feira a entrega de uma viatura de combate a incêndios aos Bombeiros Voluntários de Odemira.

A cerimónia decorrerá no quartel dos BVO, em Odemira, com a presença do Governador Civil de Beja general Manuel Monge, do presidente da Câmara de Odemira José Alberto Guerreiro, do presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Odemira Augusto Inácio, e do comandante Nazário Viana.

Trata-se de um veículo urbano de combate a incêndios, dotado de diversos equipamentos específicos de resposta e atuação em situações de emergência.

Os Bombeiros de Odemira, que celebraram em 2010 o seu 75º aniversário, contam atualmente com 95 elementos, entre 74 homens e 21 mulheres, 14 viaturas de combate a incêndios, uma viatura de salvamento e desencarceramento e 22 ambulâncias.

Fonte: Barlavento

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Saco azul nos incêndios: Gil Martins acusado


A inspecção-geral da Administração Interna dá como provada a existência de um saco azul com o dinheiro do combate aos incêndios.

O comandante operacional nacional da Protecção Civil, Gil Martins, é acusado de ter montado um esquema que desviou 137 mil euros do estado. A TVI teve acesso ao relatório, que defende a demissão de Gil Martins.

O saco azul foi criado com verbas destinadas a pagar a comandantes e pessoal de apoio logístico com funções de coordenação das operações de combate aos fogos florestais

Afirma a inspecção-geral da Administração Interna que, nos anos 2007 e 2008, o comandante nacional Gil Martins desviou quase 137 mil euros a partir das contas da corporação de bombeiros que fazia esses pagamentos.

Gil Martins contou com a colaboração preciosa do seu motorista, que ganhou a confiança das funcionárias da contabilidade da corporação. O motorista ia buscar os cheques, levantava o dinheiro e guardava-o zelosamente numa caixa. Gil Martins ia levantando o dinheiro da caixa à medida que apresentava recibos de despesas, que o motorista levava depois em sentido contrário à contabilidade dos bombeiros

O motorista ganhou dois telemóveis de marca e chamadas à borla pelo serviço de estafeta.

O dinheiro desviado serviu para pagar horas extraordinárias sem desconto de impostos a alguns comandantes, algumas delas fictícias. Mas o maior beneficiário, garantem os inspectores, foi mesmo Gil Martins. Levantou mais de 100 mil euros que serviram para comprar plasmas, máquinas fotográficas e pagar estadias em hotéis de luxo.
Fonte: IOL Diário

Bombeiros vão protestar na rua


As Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários decidiram ontem avançar para protestos, caso o entendimento com o Governo, na questão do transporte de doentes não urgentes, não seja possível. A decisão foi votada e aprovada por unanimidade, na Figueira da Foz, no Congresso Extraordinário da Liga dos Bombeiros.

"Aprovámos um conjunto de medidas, que serão alternativas, no caso de não haver entendimento no diálogo com o Governo. Se o acordo com a tutela não for possível, se nada do que achamos essencial tiver acolhimento, teremos de partir para formas de expressão pública que sempre tentámos evitar. Perspectivámos uma de duas coisas: ou fazemos um protesto público em Lisboa, com a participação de todas as federações distritais do País ou, em alternativa, fazemos um protesto público, no mesmo dia e à mesma hora, nas capitais do distrito", referiu Duarte Caldeira, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses. Em aberto está também a possibilidade de avançarem com uma providência cautelar.

"As negociações com o Governo não estão num impasse. Queremos acreditar que existe disponibilidade no Ministério da Saúde para corrigir de forma efectiva o despacho", explicou Duarte Caldeira. A contra-proposta ao despacho do Governo será apresentada amanhã e procura salvaguardar três questões fundamentais: "Garantir o transporte a todos os cidadãos doentes; que os transportes de doentes sejam feitos por ambulância homologada; um preçário único e vinculativo para todos os serviços da rede nacional de saúde, estabelecido e obrigatório quer para os estabelecimentos de saúde quer para os bombeiros", destacou o responsável.

Em causa está um despacho do Ministério da Saúde que obriga que o transporte de doentes não urgentes tenha de obedecer a dois requisitos: a prescrição clínica e insuficiência económica. Uma medida considerada pelos bombeiros de "anti-social e injustificada". Nas últimas semanas, têm sido várias corporações a denunciar problemas económicos.

IGAI EXIGE A DEMISSÃO DE GIL MARTINS

A Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) defende a demissão de Gil Martins, comandante operacional do Comando Nacional de Operações e Socorro, da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC). Segundo a TVI, os inspectores concluíram que Gil Martins desviou cerca de 137 mil euros, entre 2007 e 2008. As conclusões do relatório, segundo a TVI, dizem que Gil Martins contou com a colaboração do seu motorista. O CM tentou ontem falar com Gil Martins. Fonte da ANPC informou que Gil Martins não faz comentários.

Fonte: CM

Temperatura desce

As temperaturas vão começar a descer a partir de amanhã, em especial no Interior, prevendo-se um Carnaval gelado na Guarda e em Bragança. O sol deverá contudo brilhar durante toda a semana no território de Portugal continental. Em Lisboa e Porto deverá fazer mais frio, com as máximas a descerem para cerca de 15 graus..

Fonte: CM

Recurso ao QREN para novos quartéis e viaturas vai continuar

O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, afirmou ontem que o Governo vai continuar a recorrer a verbas do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) para construir quartéis e adquirir viaturas para os corpos de bombeiros.

“Esse esforço vai continuar”, disse hoje o ministro Rui Pereira à Lusa, em Vila Franca das Naves, Trancoso, onde inaugurou o novo quartel dos bombeiros locais, que custou 850 mil euros e foi apoiado pelo QREN.

Segundo o governante, “a aposta no QREN significa a possibilidade de aproveitar recursos da União Europeia para construir quartéis, para adquirir viaturas, que são absolutamente indispensáveis para fazer frente às várias calamidades e acidentes” que o país enfrenta.

Rui Pereira disse que o Ministério da Administração Interna vai continuar a recorrer às verbas comunitárias para modernizar os bombeiros e os agentes da protecção civil e recordou que até 2013 está previsto “um investimento “de mais de 200 milhões de euros”.

“Nós já passámos metade desse investimento e vamos continuar a apostar nele”, concluiu.

O ministro inaugurou hoje, em Vila Franca das Naves, um novo quartel de bombeiros “moderno, funcional e com muita dignidade”, que veio substituir um edifício que não possuía condições de operacionalidade.

O comandante dos voluntários, António Ferreira, disse à Lusa que o antigo edifício não passava de “um barracão sem condições”.

Contou que as instalações eram “indignas” e “colocavam em causa a operacionalidade” dos 60 elementos do corpo activo, fundado em 1998.

Na deslocação a Trancoso, o ministro da Administração Interna foi confrontado, por João Rodrigues, vereador na Câmara Municipal e presidente da Assembleia Geral dos bombeiros, com a necessidade de haver um reforço dos efetivos da GNR no posto de Vila Franca Naves.

Rui Pereira reafirmou que, apesar das actuais dificuldades económicas, este ano, o seu Ministério está “a fazer um grande esforço para admitir mais mil guardas da GNR e mais mil agentes da PSP”.

Indicou que após a formação, os novos elementos de segurança serão distribuídos pelo território nacional, consoante as necessidades apontadas pelo Comando Geral da GNR e pela Direcção Nacional da PSP.

“Estamos atentos às necessidades de reforçar o dispositivo territorial das forças de segurança, porque o direito à segurança faz-se com a protecção civil e também com ordem pública e prevenção da criminalidade”, declarou o titular da pasta da Administração Interna.

Fonte: TB online

Bombeiros estão «mais bem equipados» para combater fogos

Os bombeiros estão “mais bem equipados” para combater os fogos do próximo verão, mas é essencial que os proprietários comecem “já a proteger os seus bens”, defendeu hoje à Lusa o secretário de Estado da Protecção Civil.
“Os bombeiros já estão mais bem equipados para enfrentar o próximo verão. Dentro das 95 viaturas que estamos a entregar, há umas dezenas [de carros] de combate a incêndio florestal”, afirmou Vasco Franco, em declarações à Lusa após a entrega de uma viatura aos bombeiros de Avintes, Gaia.

No entanto o governante diz que é preciso começar a trabalhar na prevenção.

Recordando que “a lei obriga a que os 50 metros à volta das casas sejam limpos de mato”, Vasco Franco explica que se isto não for feito, “as primeiras horas de combate a um incêndio são gastas a defender as casas”, tornando-se mais difícil combatê-los.

“O lema dos bombeiros é vida por vida. É compreensível que arrisquem a vida para defender outra. Mas não que arrisquem a vida para proteger casas ou fábricas que não foram protegidas pelos seus proprietários”, observou.

Fonte: Diário Digital

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

GNR de Bragança insiste em pedir novo quartel


A GNR de Bragança quer ver reformulado o quartel do destacamento territorial. Esse desejo foi expresso esta quinta-feira pelo comandante António Fernandes, no discurso durante as comemorações do dia da unidade, em Bragança.

O Tenente-Coronel António Fernandes diz que a GNR está bem equipada de meios mas precisa de mais atenção ao nível das instalações.

“As instalações que precisariam no imediato de intervenção era o quartel de Bragança que precisaria de uma ampliação, porque aumentou o efectivo e as valências e já não são funcionais como se exigiria na actualidade. Alguns destacamentos também precisariam de algumas reparações, e alguns postos, como Argozelo, Rebordelo, Torre de D. Chama, que já está prometido, Freixo de Espada à Cinta e Mirandela, que também precisa de reparações a curto prazo”, explicou António Fernandes.

No entanto, este pedido caiu em saco roto, pelo menos para já.

Jorge Gomes, o Governador Civil do distrito, diz que uma nova sede para o comando da capital de distrito não está na lista de prioridades do Governo, ao contrário de outros postos no distrito.

“O Governo já deu a resposta há algum tempo: não há sede do comando. Dentro dos constrangimentos financeiros, há prioridades e dentro delas, no nosso distrito, está o posto de Torre de D. Chama, que já está em obra, está o caso de Freixo de Espada à Cinta que já está em estudo e projecto para ver se o conseguimos pôr este ano em obra e o caso de Rebordelo que tem bastantes deficiências”, esclareceu Jorge Gomes.

Jorge Gomes admite ainda que as forças de segurança do distrito serão reforçadas em termos de efectivos, com o objectivo de ajudar a reduzir a média de idades dos homens que estão em funções.

Declarações prestadas à margem das comemorações do Dia da Unidade Territorial de Bragança da GNR, implantada desde 1913.

António Fernandes, o comandante, sublinha a importância destas comemorações.

“O dia da Unidade reforça a unidade dos militares e nesta profissão exige-se muita união de esforços porque há muitas horas difíceis.”

Actualmente, a GNR tem 550 homens a operar no distrito de Bragança.

Fonte: Brigantia

Bombeiros em exercício distrital

Bombeiros e agentes dos serviços de Protecção Civil do distrito de Aveiro participaram em Vagos num simulacro de incêndio florestal de grande envergadura, enquadrado na acção de formação «Organização do Teatro de Operações», anunciou fonte do Governo Civil.

A acção, ministrada ao longo da semana por peritos franceses em incêndios florestais, foi promovida pela Federação dos Bombeiros do Distrito de Aveiro e o Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro.

De acordo com a mesma fonte, a iniciativa inseriu-se nos intercâmbios entre estas duas entidades aveirenses e os bombeiros franceses do SDIS 33 (Departamento da Gironde), cujos resultados têm tido «uma repercussão muito positiva ao nível da apreensão de novos conhecimentos, conceitos e técnicas, com importantes reflexos» no trabalho desenvolvido pelos «soldados da paz» do distrito.

Fonte. Jornal O Principal

Petição contra as portagens na Auto-Estrada Transmontana


O presidente da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros é o primeiro subscritor da petição contra a A4 portajada

O presidente da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, Beraldino Pinto, é o primeiro subscritor da petição que foi lançada contra as portagens na Auto-Estrada Transmontana.
O autarca lembra que quando anunciou a obra, o primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou que esta via é a “auto-estrada da justiça”, surpreendendo agora a população do Nordeste Transmontano, na visita que fez à região no passado dia 19, ao afirmar que esta via vai ter o mesmo regime de portagens das SCUT.
Entre os argumentos que sustentam esta petição estão o baixo nível dos rendimentos médios das populações transmontanas, o diminuto desenvolvimento económico, a escassa atractividade de empresas, o facto de outras regiões do País terem tido, durante anos a fio, auto-estradas não portajadas e a inexistência de vias alternativas.
As portagtens são vista como uma penalização para as populações dos distritos de Vila Real e Bragança, que vão ter que pagar logo a pós a conclusão da obra.
Perante esta situação, os subscritores desta petição solicitam ao presidente da Assembleia da República que decida discutir esta matéria, recomendando ao governo a alteração desta medida.
Os subscritores pedem, ainda, ao governo que adie a entrada em vigor das portagens na A4 pelo menos durante sete anos.
Foto: cm-macedo de cavaleiros
Fonte: Jornal Nordeste

Espanha ignora auto-estrada entre Quintanilha e Zamora


A Junta de Castilla Y Léon não tem qualquer projecto em marcha para dar seguimento à A11, entre Zamora e a fronteira de Quintanilha (Bragança).
A revelação foi feita durante a visita que o Município de Bragança promoveu hoje às obras da Auto-Estrada Transmontana, juntamente com representantes da Diputación e do Ayuntamiento de Zamora e de outros municípios da raia espanhola.
Recorde-se que a A11, também conhecida como “Autovia del Duero”, já liga Valladolid a Zamora desde o ano passado, mas o percurso até à fronteira continua a ser feito pela Nacional 122.
A iniciativa do Município de Bragança serviu para reforçar a urgência da construção da auto-estrada no lado espanhol, dado que em território português a Auto-Estrada Transmontana estará concluída em 2012
Após a apresentação geral do projecto, a cargo da Concessionária Auto-Estradas XXI decorreu uma visita às obras no troço da circular a Bragança, incluindo principais obras de arte, uma troço que a abrirá até final do corrente ano.

Fonte: Jornal Nordeste

Sapadores de Coimbra vão ter “infra-estrutura única no país”

O prazo de execução da obra é de 240 dias o que faz com que (caso não surjam atrasos) os trabalhos de remodelação e ampliação da Casa Municipal da Protecção Civil, onde está instalado o quartel da Companhia de Bombeiros Sapadores de Coimbra, tenham de estar concluídos antes do final do ano. Consignada ontem, a empreitada pretende, lê-se na ficha técnica da obra, «implementar uma infra-estrutura única no país».
Além de um campus de formação, treino e investigação e desenvolvimento (I&D) no controlo de acidentes com matérias perigosas, o projecto integra um campo de treinos de USAR (Urban Search and Rescue) e um edifício de apoio. Desenvolvido na íntegra pelos serviços da Câmara Municipal de Coimbra, o projecto inclui a construção de quatro blocos e zonas de treino numa área de implantação de 1166 metros quadrados.
Com construção prevista para terrenos pertencentes à autarquia de Coimbra, situados na envolvente do quartel dos Sapadores, a formação e o treino em acções de salvamento ganham, desta forma, um novo e precioso auxiliar. Junto à nova entrada proposta para o quartel, mas que não entra nesta empreitada, localiza-se um edifício de apoio à área industrial de desobstrução e salvamento, descontaminação e limpeza do equipamento, espaço de manutenção de veículos e ferramentas e sala de formação.
O edifício onde se localiza a descontaminação e limpeza do equipamento, juntamente com a casa de treinos e o tanque de mergulho, ficarão a fazer parte de uma frente de rua (estrada com diferentes sarjetas e valetas) onde se desenvolverão as operações de busca e salvamento de média escala em meio urbano, segundo os padrões da União Europeia e do INSARAG (Grupo Consultor Internacional de Busca e Resgate das Nações Unidas). O tanque de mergulho, com várias plataformas, terá nove metros e meio de profundidade máxima.

Nova entrada ainda
não é para este ano
Entre o parque de equipamento e um arruamento a construir, ficará a rede de túneis e o poço, enquanto o parque industrial de treinos e o campo de treinos USAR serão fixados na parte sul do terreno, enquadrado por talude, muro e zona verde ao nível da rua para protecção visual. Esta zona será composta, basicamente, por destroços, materiais, vigas e separadores. Esta localização foi escolhida dada a maior facilidade de esconder das vistas, já que se propõe um pequeno desaterro e a implantação de talude junto à rua.
O bloco destinado a parque de equipamento ficará implantado a poente, devidamente enquadrado com o edifício existente da Companhia de Bombeiros Sapadores de Coimbra e encoberto com o desnível natural que apresenta o terreno neste local. Instalações sanitárias e vestiários, estação de desobstrução e salvamento, estação de motobombas e mangueiras, reserva de espumífero e pó de limpeza e estação da protecção civil integram este bloco.
Com um valor total de pouco menos de 516 mil euros, ainda sem IVA, as obras de remodelação e ampliação da Casa Municipal da Protecção Civil foram financiadas pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional com perto de 495 mil euros. Futuramente, está prevista uma nova entrada para o equipamento pela rua a construir a nascente, de modo a facilitar a manobra dos veículos. A nova entrada não é contemplada na empreitada consignada ontem e também não está prevista a sua concretização para o presente ano. Actualmente, a única saída é directamente para a rotunda da Avenida Mendes Silva.

Presidente garante
melhor formação
Depois de ouvir João Garcia, engenheiro da Câmara de Coimbra, explicar os detalhes do projecto, João Paulo Barbosa de Melo lembrou que «uma das funções mais importantes que os deveres públicos têm é a obrigação de pôr à disposição das pessoas um bom serviço de protecção civil». «Se não treinamos a vida inteira para uma coisa que pode acontecer, nunca vamos estar preparados para ela», realçou o presidente da autarquia de Coimbra, que, de pronto, elogiou os Sapadores. «Temos dos bombeiros mais bem formados do país», referiu, embora realçando que «esse trabalho nunca está concluído».
Para Barbosa de Melo, que esteve acompanhado pelo vereador Paulo Leitão, «esta estrutura vai melhorar o dispositivo de formação», sobretudo «para coisas que esperamos nunca venham a acontecer, mas para as quais temos de estar preparados». Quanto ao valor do investimento, o autarca falou de uma «parte importante de fundos comunitários». Contudo, prosseguiu, «estamos a usar bem o dinheiro dos contribuintes, contribuindo para uma cidade mais segura e que pode dormir todos os dias descansada». «Estamos prontos para enfrentar tudo o que possa surgir. Já é assim e ainda vai ser mais assim», acrescentou, desejando que a obra «seja feita rapidamente».

Fonte: Diário de Coimbra

Bombeiros contra a solidão

O francês Henri Bosco escreveu um dia que "não há dois tempos iguais de solidão, porque nunca se está só da mesma maneira". Numa altura em que o abandono dos mais velhos está na ordem do dia, os Sapadores Bombeiros de Lisboa dão uma ajuda especial na luta de quem não tem tempos iguais de solidão e apoiam os que nunca estão sós da mesma maneira. A ajuda é prestada através de bombeiros profissionais que, por uma razão ou por outra, já não podem estar na primeira linha na intervenção do socorro e que agora funcionam como elo entre quem precisa de auxílio e entre quem o pode prestar. Este serviço dos bombeiros existe apenas em Lisboa, mas o Regimento de Sapadores espera que possa ser copiado por outras corporações do país.
Fonte: RR

Liga dos Bombeiros quer unir sector no combate às novas regras de transporte de doentes

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) reúne-se no sábado num congresso extraordinário que o seu presidente, Duarte Caldeira, espera que sirva para marcar a posição das associações humanitárias de bombeiros contra as novas regras de transporte de doentes.
Duarte Caldeira disse à agência Lusa que os associados da Liga deverão concordar nas "bases gerais que orientem a negociação com o Ministério da Saúde" e ao mesmo tempo assumir "uma posição de solidariedade com os cidadãos que se veem privados" do transporte "em consequência da aplicação" de um despacho de dezembro passado que veio definir novas regras no transporte.
O presidente da LBP assinalou a "drástica redução do número de serviços prestados à população" desde a entrada em vigor do despacho, que "condicionou a prescrição do transporte" de doentes não urgentes à avaliação de insuficiência financeira dos utentes.
"Não é possível dissociar o direito ao transporte dos doentes do direito aos cuidados de saúde", argumentou Duarte Caldeira, acrescentando que a Liga "não é um operador privado, a quem é indiferente, passe o termo, os 'consumidores'".
Além disso, a Liga reconhece os "problemas de sustentabilidade" que a redução nos transportes de doentes traz às associações.
Duarte Caldeira afirmou que a Liga quer "ver consagrado um conjunto de princípios que garantam aos concidadãos, ao serviço dos quais estão as corporações de bombeiros, o acesso aos cuidados de saúde".
Para um congresso extraordinário da Liga, que se vai realizar no Casino da Figueira da Foz, está já inscrito um "número recorde" de congressistas - "mais de 700" -, o que Duarte Caldeira considerou sinal da "preocupação que está instalada".
Os membros da Liga vão discutir e votar um "documento de trabalho" que partiu do Conselho Executivo da organização e que espera que possa resolver "a crise vivida no âmbito do transporte de doentes".
Fonte: Gaia FM

Rural Arcas arranca amanhã

Gastronomia e produtos da terra combinados num certame que promove o Mundo Rural
A 8ª edição da Rural Arcas – Feira dos Produtos da Terra arranca amanhã. Durante o fim- de- semana, a gastronomia transmontana e a ligação da população à agricultura estão bem patentes no certame, que é uma verdadeira montra de produtos regionais.
As tradições e ritmos desta freguesia macedense também vão estar representados com as actuações dos Pândegos e do grupo Toka a Bombar.
A caça ao javali é também um elemento importante no programa da Rural Arcas, com a realização de duas montarias, em que não vão faltar os tradicionais “mata bichos”.
Fonte: Jornal Nordeste

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Dos 374 sócios inscritos só votaram 78


Bombeiros elegeram nova direcção

José Carlos Dias, actual número dois Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros, foi eleito, no passado sábado, presidente da corporação. Dos 374 sócios inscritos, só votaram 78 (58, a favor, 19 brancos e um nulo). A inexpressiva votação deve-se ao facto de ter concorrido uma única lista.

Recorda-se que nas eleições de Março de 2008 registou-se uma afluência nunca antes vista (558 sócios). Tudo porque concorreram duas listas. De resto, o facto mais relevante do escrutínio de 2008 foi a receita financeira que entrou nos cofres da corporação pela via das quotas (cerca de 20 mil euros) que muitos sócios (ou alguém por eles) tiveram de pagar para votar. Isto quer dizer que nas eleições deste ano a indiferença dos sócios, para além do sabor amargo que gerou por não ter produzido receita, deixou bem visível o clima de instabilidade que se vive na corporação. É que, frescos na memória dos bombeiros parecem continuar a estar ainda os episódios que, em 2009, deram origem à decisão que determinou que Macedo de Cavaleiros passasse a ser o único concelho do distrito de Bragança a rejeitar a criação de uma Equipa de Intervenção Permanente. Outro ponto de discórdia diz respeito às condições que os bombeiros continuam a exigir para fazer a mudança do antigo para o novo quartel.

O Semanário TRANSMONTANO tentou saber quais as medidas que o presidente eleito iria tomar para tentar ultrapassar aquelas divergências, mas José Carlos Dias mandou dizer que só daria “entrevistas” depois de tomar posse. Outra questão, também relacionada com o clima que se vive no interior da corporação, que o TRANSMONTANO pretendia ver respondida, diz respeito às acusações dirigidas ao sistema, expressas na carta aberta que o candidato às eleições de 2008 dirigiu aos elementos do corpo de bombeiros, dias antes das eleições. Na dita missiva, para explicar os motivos da sua decisão de não se recandidatar, Tozé Vaz refere que “chegou a ser ponderada” a apresentação de uma lista “que se pretendia unificadora e construtiva”, mas que tal se revelou “inviável” porque “os obstáculos à conciliação de vontades e interesses ficam a dever-se à partidarização do processo eleitoral”. Na sua perspectiva, “há quem persista em ver na direcção desta digna associação uma oportunidade de contaminação política da sociedade macedense, postura que assumidamente” reprova e com a qual se recusa a pactuar. Identificando os responsáveis por tal situação, Tozé Vaz reiterou que o seu “único interesse” era avançar com uma “lista apartidária, baseada em convicções concretas e não em ideolo-gias abstractas e anseios fúteis”. Com essa candidatura pretendia “dar uma resposta apaziguadora e positiva perante o clima de instabilidade que se vive” na instituição. Por entender que não encontrou condições para levar por diante as suas intenções, considera que a sua candidatura apenas geraria polémicas, “polémicas essas pouco dignas do estatuto da associação” de que os bombeiros “enquanto pessoas dedicadas a uma missão de paz e integridade” são “o rosto mais visível”. Tozé Vaz retira-se “deste combate” porque além de estar consciente de que não dispõe dos mesmos recursos que os seus adversários, entende que ao alinhar na estratégia pouco democrática por que os mesmos se pautam, partiria em desvantagem. Recusa, por isso, “alimentar uma luta idêntica à de há três anos”, a qual além de acarretar “implicações nocivas, inclusivamente para a boa imagem da instituição, nada traria de novo ao seu rumo e aos seus destinos”.

Por: João Branco
Fonte: Semanário Transmontano

Duarte Caldeira diz que falta de apoios das autarquias não encerrará bombeiros


Capacidade de resposta comprometida, é possível. Encerramento, não. É esta a opinião do presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses em relação à diminuição dos apoios das autarquias às associações e corpos de bombeiros.
Duarte Caldeira, presidente do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) considera que a redução dos apoios das autarquias às associações e corpos de bombeiros poderá comprometer a capacidade de resposta dos soldados da paz, mas recusa a ideia de que irá provocar o seu encerramento.

Jaime Mata Soares, da Associação nacional de Municípios Portugueses, disse ontem várias associações de bombeiros estão em risco de entrar em falência técnica, devido à redução de apoios das câmaras Municipais, também estas com restrições orçamentais.

Duarte Caldeira admite que as associações e corpos de bombeiros vivem com grandes dificuldades, ao mesmo tempo que revela preocupação em relação á respectiva capacidade de resposta. O responsável afirma-se desde já preocupado com o próximo Verão e o combate aos incêndios florestais.

Os bombeiros atravessam dificuldades devido à redução de verbas das autarquias, mas também devido aos efeitos da aplicação prática do novo regulamento de transporte de doentes e ainda devido à falta de actualização das verbas oriundas da Autoridade Nacional de Protecção Civil, adianta Duarte Caldeira. Acresce ainda o constante aumento dos preços dos combustíveis. Apesar de tudo, o presidente da LBP não antecipa o encerramento das associações.

Fonte: BP

Liga dos Bombeiros Portugueses reúne na Figueira da Foz


A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) vai reunir no próximo sábado a partir das 09h30, no Casino da Figueira, na Figueira da Foz, mais de 750 dirigentes e elementos de comando de Associações e Corpos de Bombeiros, para debater a problemática do transporte de doentes em ambulância. Várias corporações da região de Aveiro vão estar representadas nesta reunião nacional.

Fonte: Rádio terranova

Autarquia concede apoio de 280 mil euros aos bombeiros voluntários


A câmara municipal de Albufeira decidiu, na sua última reunião, conceder um apoio financeiro à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Albufeira para o ano de 2011, no valor de 280 mil euros, no âmbito do protocolo de colaboração assinado em 2006.

O apoio logístico e financeiro que a autarquia tem vindo a conceder a esta instituição sem fins lucrativos tem-se revelado, diz a autarquia, “uma mais-valia para o bom funcionamento da mesma”.

“Desde o primeiro instante que entendemos que os bombeiros voluntários necessitam de apoio e reconhecimento. Queremos que a associação seja uma referência em matéria de segurança e proteção civil, pela sua capacidade de intervenção e grau de exigência”, salientou o presidente da câmara, Desidério Silva.

Esta parceria “tem em linha de conta” o acréscimo de trabalho na época de verão, relacionado com o fluxo de turistas que visitam Albufeira, situação que obriga os bombeiros voluntários a admitir novos elementos para o seu quadro permanente, com o objetivo “de dar uma resposta adequada às necessidades concelho”.

O corpo de bombeiros albufeirense opera ao nível do combate a incêndios, protecção civil, socorrismo, transporte de doentes, socorros a náufragos e falésias.

A título de adiantamento, a instituição recebeu no passado mês de janeiro uma verba de 30 mil euros.

Fonte: diárioonline

Emoção e dor no funeral de bombeiro ferido em incêndio


Foi num ambiente de grande emoção que foi hoje, quinta-feira, a enterrar Diamantino Sá, o bombeiro de Lourosa (Feira) que morreu após ter estado vários meses em coma, na sequência de ferimentos que sofreu num incêndio em Gondomar, em Agosto do ano passado.

"Estarás para sempre connosco Teixeira!", gritava insistentemente alguém entre a imensa multidão que, na tarde desta quinta-feira, se juntou no funeral do bombeiro de Lourosa que morreu na sequência dos ferimentos que sofreu no incêndio que já tinha vitimado a colega Josefa Santos.

Palavras que se perdiam entre as muitas palmas dos que se juntaram na igreja de Lourosa, onde decorreu a cerimónia fúnebre. Uma forma de prestar homenagem a Diamantino Sá, conhecido entre os colegas como Teixeira.

O cenário de lágrimas e de abraços prolongados de conforto entre os elementos dos bombeiros repetiram-se ao longo da tarde. Momentos de consternação que foram também vividos pelos habitantes que marcaram presença na cerimónia.

O bombeiro, que estava ao serviço dos voluntários de Lourosa desde 1975, é a segunda vítima mortal do incêndio ocorrido a 10 de Agosto em Monte Meda, Gondomar.

Apesar das suspeitas que na altura se levantaram em relação à possível origem criminosa do incêndio, o comando dos bombeiros voluntários de Lourosa afirma não ter, ainda, qualquer informação sobre o desenrolar das investigações, ou se as mesmas ainda prosseguem.

Fonte: JN

População de Torre de Moncorvo saiu à rua a pedir continuidade do SAP

Cerca de 200 pessoas manifestaram-se esta manhã contra o encerramento nocturno do SAP do centro de saúde de Torre de Moncorvo. A marcha começou junto à unidade de saúde e terminou na Câmara Municipal, onde a comissão de utentes foi recebida pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, José Aires, a quem foi entregue uma moção.

De qualquer forma, o povo gritou bem alto que não concorda com o encerramento das urgências durante a noite, sendo que a alternativa é o Serviço de Urgência Básica de Foz Côa, a 20 quilómetros de distância:

“Estou aqui para defender os nossos direitos, porque queremos o centro e a urgência aberta 24 horas”, diz uma manifestante. Uma habitante de Souto da Velha, indignada, garante que “enquanto alguém da câmara não der a cara, não saímos daqui”. “Queremos as urgências abertas porque de noite ainda estamos vivos”, diz. “A população da minha aldeia é toda idosa. Vai uma pessoa de 90 anos com uma pensão de 200 euros daqui para Foz Côa? Quem é que paga isso?”, sublinha.

Adriano Reis, da comissão de utentes, confia que o protesto poderá ter resultados:

“Temos esperança porque a luta continua. A comissão de utentes vai reunir e tomar outras formas de luta. Há um ditado que diz que água mole em pedra dura tanto bate até que dura.”

A população de Torre de Moncorvo em protesto, esta manhã, contra o encerramento do SAP entre as 10 da noite e as 8 da Manhã.

Fonte: CIR

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Aguiar da Beira e Santa Comba Dão disputam helicóptero do INEM

Aguiar da Beira e Santa Comba Dão investiram vários milhares de euros em infra-estruturas para receber um helicóptero do INEM, mas o Estado só tem um aparelho para entregar.

A colocação do helicóptero em Santa Comba Dão era provisória, aguardava-se apenas que a helipista de Aguiar da Beira estivesse concluída para receber o aparelho, garantiu o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

No entanto, a Câmara de Santa Comba Dão gastou mais de 250 mil euros em melhorias da helipista para que o aparelho pudesse servir a região.

A menos de 100 quilómetros, a localidade de Aguiar da Beira, que inicialmente ira receber o helicóptero, também investiu 300 mil euros na melhoria da sua helipista.

O autarca de Aguiar da Beira, Fernando Andrade, recorda o despacho do secretário de Estado «aquando da ida do helicóptero para Santa Comba diz claramente que o helicóptero irá para Santa Comba até que as obras da helipista de Aguiar da Beira sejam concluídas».

Fonte: A bola

Nova viatura de salvamento/desencarceramento e um ginásio

A Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal (CBSS) apresentou, anteontem, dia das comemorações do seu 225.º aniversário, uma viatura nova, que está sendo transformada para realizar acções de salvamento e desencarceramento, custeada por fundos municipais.

Outra “prenda” dos Sapadores, também a receber posteriormente, é o ginásio. Um antigo espaço existente no quartel, sito no Monte Belo norte, que funcionava como arrecadação, dará lugar a ginásio, restando equipá-lo com o necessário equipamento.

Na sua intervenção na sessão solene comemorativa do 225.º aniversário, a presidente da Câmara Municipal salientou o objectivo do Município em “manter e melhorar os recursos humanos e materiais” da corporação, lembrando a apresentação de uma candidatura a fundos comunitários, totalizando cerca de 2 milhões e 256 mil euros, dos quais 677 mil são da responsabilidade da Autarquia.

Maria das Dores Meira abordou a polémica questão da reestruturação dos horários dos sapadores para rotular de “inaceitáveis” os ataques por parte da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP). Para a autarca, tais alterações - passam de quatro para cinco turnos -, “garantem a continuidade da corporação como núcleo central do sistema de protecção civil municipal.”

A cerimónia solene contou com a presença do vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), com Rui Silva a distinguir o “alto valor” dos bombeiros sapadores de Setúbal.

Alguns bombeiros foram agraciados pela CBSS com medalhas de distinção por anos de serviço, tendo três deles recebido o Crachá de Ouro da LBP, comprovativo de 35 anos de serviço.

Para além da sessão solene nos Paços do Concelho, as comemorações contemplaram a imposição de medalhas, uma formatura geral e exercícios de demonstração de meios operacionais, na Praça de Bocage, deposição de flores no talhão dos Bombeiros aos soldados das paz falecidos, visita ao futuro ginásio e contacto com a nova viatura, no quartel da aniversariante corporação.

Paulo Lamego, há dois meses e meio no exercício do cargo de comandante da CBSS, reconheceu a «O Setubalense» estar, ainda, a inteirar-se de todos os assuntos da corporação.

Instado sobre a reestruturação ocorrida no início deste mês, o comandante operacional assegurou que “nada mudou, em termos de socorro à população e dispositivo operacional”, apesar do aumento de quatro para os actuais cinco turnos.


REDUÇÕES Admitindo que as “implicações” deste aumento de turnos são a “nível interno”, o major Paulo Lamego mostra-se apostado em “querer melhorar” a funcionalidade laboral na corporação. Quanto à alegada redução de horas extraordinárias, logo redução de vencimentos, dos efectivos da corporação de bombeiros, o comandante remeteu a matéria para a esfera do executivo político.

“A senhora presidente e os vereadores tomaram essa decisão e lá terão as suas razões. A mim, compete-me a parte operacional e isso está garantida.” Questionado sobre o sentimento que denota das suas tropas, Paulo Lamego admite que, nessa matéria, “os meus homens sentem-se como todos aqueles que sofreram reduções nos vencimentos desde 1 de Janeiro, com implicações nos seus agregados familiares.”

Fonte: O SETUBALENSE

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Bombeiros devem mudar-se para o novo quartel dentro de 3 meses


Equipar e mudar para o novo quartel. É esta a vontade do novo presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros de Macedo de Cavaleiros, que foi eleito no passado sábado à tarde.
José Carlos Dias espera fazer a mudança nos próximos três meses, melhorando a imagem da instituição, e ainda controlar o gasto de combustível.

“Melhorar a imagem dos bombeiros, intervir em todos os serviços dependentes da associação, mudar para as novas instalações que estão a ser equipadas, proibir excessos de consumo de gasóleo, remodelar o material existente existente, e dar uma imagem totalmente diferente aos bombeiros que hoje estão com essa imagem muito denegrida”, explica o novo presidente.

Para que a mudança de instalações seja uma realidade, o novo presidente dos bombeiros admite pedir apoio a algumas entidades municipais.
José Carlos Dias espera mudar assim que estejam reunidas as condições mínimas.

“Tenho que pedir a entidades que me ajudem a resolver os últimos problemas do quartel, para acabar o que lhe falta. E de seguida, imediatamente mudar com o material necessário. Em três meses teremos aquilo pronto para mudar. Com as condições minímas ou médias porque as máximas é impossível porque esta associação não tem dinheiro para comprar material tão sofisticado como dejam, mas é material utilizável que dá para as necessidades acuais.”, garante.

Quanto às alegadas falhas apontadas pelo corpo activo às novas instalações, que estarão a impedir a mudança da corporação de bombeiros de Macedo, José Carlos Dias deixa a mensagem.

“ O entendimento tem que passar pela idéia de que o corpo activo é um orgão dos associados, não é a Associação que é um orgão do corpo activo, tem que se fazer entender isso a toda a gente.”

Eleições nos bombeiros de Macedo de Cavaleiros, este sábado. Lista única. José Carlos Dias venceu com 58 votos a favor, 19 brancos e um nulo. Votaram 78 dos 374 associados inscritos, ou seja, menos de metade.

Fonte: Rádio Onda Livre

Novas regras do transporte de doentes motivam reunião


A Liga dos Bombeiros Portugueses reúne-se hoje com o secretário de Estado da Saúde para debater as alterações ao regime de transporte de doentes não urgentes.

O presidente da Liga diz que os bombeiros "não podem passivamente aceitar que o Ministério da Saúde queira impor medidas que se revelam absurdas". Para Duarte Caldeira só é aceitável que se altere o documento que entrou em vigor no início do ano.

Um despacho do secretário de Estado da Saúde, Óscar Gaspar, determinou em Dezembro passado que o transporte de doentes não urgentes pago pelo Ministério passa a ter de responder obrigatoriamente a dois requisitos: prescrição clínica e insuficiência económica.

A Liga afirma ter exemplos de casos de pessoas que foram privadas do acesso ao transporte de que necessitavam porque as estruturas locais do Ministério não tiveram capacidade de avaliar essa insuficiência e por isso não prescreveram o transporte.

Segundo a Liga, em Janeiro, o transporte de doentes feito por associações de bombeiros diminuiu 30 a 40% e há muitos utentes a pagar do seu bolso.

Fonte: RR

Ministro Rui Pereira inaugura novo quartel dos Bombeiros de Vila Franca das Naves


O novo Quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Franca das Naves é oficialmente inaugurado do próximo sábado, dia 26 de fevereiro pelas 11h00, pelo Ministro da Administração Interna, Rui Pereira.
O Presidente do Município de Trancoso, Júlio Sarmento, realça o significado desta cerimónia ao tratar-se da concretização de uma velha aspiração daquela Associação Humanitária e seu Corpo Ativo, mas também da população em geral.

Correspondente ao investimento de 800 mil euros, é um edifício de linhas modernas, situado em local próximo do acesso que liga Vila Franca das Naves ao troço recentemente aberto ao trânsito, com perfil de autoestrada, entre Aldeia Rica (Celorico da Beira e Trancoso).

Júlio Sarmento salienta que ao longo dos anos, desde a sua fundação, os Bombeiros Voluntários de Vila Franca das Naves lutaram com grandes carências e dificuldades, funcionando em edifício precário e inadequado às suas funções, mas constituem uma referência de abnegação, espírito de entrega, operacionalidade e altruísmo que muito orgulha aquela freguesia e o concelho de Trancoso.

Sublinha ainda o esforço da Câmara Municipal de Trancoso na concretização desta obra em beneficio de toda a comunidade.

Posteriormente, já em Trancoso, o Ministro da Administração Interna, Rui Pereira, visita pelas 15h00 a VII Feira do Fumeiro, dos Sabores e do Artesanato do Nordeste da Beira.

No mesmo dia procede-se à entrega dos diplomas de Ativos do CNO- Centro de Novas Oportunidades, da Escola Profissional de Trancoso (Auditório Municipal).
Fonte: Portal de Trancoso

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Torneio de Bilhar dia 26-02-2011 no Bar dos BVMC


Entrudo Chocalheiro volta a animar Podence


É cada vez mais uma referência na região do Nordeste Transmontano. O “Entrudo Chocalheiro” de Podence regressa este ano entre os dia 5 e 8 de Março para animar as ruas da aldeia de Podence, no concelho de Macedo de Cavaleiros.

Para estes três dias a organização do evento de 2011 preparou um recheado programa onde se inclui a animação de rua, um festival de gastronómico - o “Festival do Grelo”- , um passeio micológico, uma exposição de fotografia, passeios de burro e muitas outras actividades destinadas a preencher de acção todos os visitantes que este ano queiram participar num dos carnavais mais genuínos da região.
Fonte: Notícias do Nordeste

Bombeiros: Voluntários preparam candidaturas ao QREN para aquisição de veículos


São várias as associações e corpos de bombeiros que estão a preparar candidaturas ao QREN para aquisição de veículos que permitam aumentar a respectiva operacionalidade.

Os voluntários de Penela pretendem obter fundos do QREN para aquisição de um Veículo Urbano de Combate a Incêndios (VUCI). O desenvolvimento da região impôs novas necessidades aos voluntários de Penela que pretendem agora adquirir um VUCI. Com vista a concretizar a compra os Bombeiros de Penela estão agora a preparar uma candidatura ao QREN- Quadro de Referência e Estratégico Nacional.

Entretanto, as associações e corpos de Bombeiros do distrito da Guarda vão receber cerca de dois milhões de euros para a aquisição de novos veículos, segundo informação do Governador Civil. Santinho Pacheco refere que o dinheiro permitirá a entrega de um veículo novo a cada um dos 16 corpos de bombeiros do distrito.

Finalmente, os bombeiros de Cernache do Bonjardim e do Fundão vão receber dois veículos de salvamento e desencarceramento, ao abrigo de uma candidatura apresentada pela Secretaria de Estado da Protecção Civil ao QREN.

Fonte: BP

Autoestrada Transmontana vai ter isenções para residentes


Anúncio foi feito hoje pelo primeiro-ministro José Sócrates, em Bragança, durante a iniciativa "Governo Presente". Novo modelo resulta de acordo celebrado com PSD.

A autoestrada (AE) transmontana vai ter o mesmo regime de portagens das SCUT, mas com uma isenção para os residentes, anunciou hoje o primeiro-ministro, José Sócrates, em Bragança, durante a iniciativa "Governo Presente".

O chefe do Governo acrescentou que este novo modelo resulta do acordo celebrado com o PSD para a aprovação do Orçamento do Estado para 2011.

A Autoestrada Transmontana, que liga Vila Real a Bragança, numa extensão de 130 quilómetros, tinha sido anunciada pela primeiro-ministro como a "autoestrada da justiça", sem portagens para o utilizador, pelo isolamento e por o distrito de Bragança ser o único do país sem um quilómetro de autoestrada.

José Sócrates fez hoje um ponto da situação das novas estradas em construção na região, durante o "Governo Presente", em Trás-os-Montes, e sobre a autoestrada disse que o que mantém em relação ao compromisso anterior "é que esta autoestrada será como as outras SCUT".

"Eu acho que isso é que é fazer justiça".

"E o que terá e que resultou de um acordo com o PSD, feito na Assembleia da República, é o mesmo esquema que estamos a utilizar para todas as outras SCUT: terá portagens, sim, mas essas portagens terão exceções, terão isenções para aqueles que aqui residem", afirmou.

"É um apoio à região e às pessoas que aqui vivem por forma a que essas pessoas possam ser compensadas daquilo que é uma certa desvantagem de há muito tempo terem indicadores sócio económicos que estão abaixo da média nacional", sustentou. O primeiro-ministro sustentou: "eu acho que isso é que é fazer justiça".

José Sócrates frisou que "a opinião do Governo sempre foi que no interior deveríamos ter autoestradas sem portagens, mas a verdade é que o PSD nunca concordou com isso e acabámos por chegar a um compromisso, que está hoje expresso nas SCUT do Grande Porto".

"São SCUT em que temos portagens, mas que têm isenções para aqueles que residem e trabalham nesta região. Eu acho que é o mínimo de justiça e de solidariedade que devemos fazer para com o interior do país", declarou.

A Autoestrada Transmontana implica um investimento inicial de 440 milhões e servirá 250 mil pessoas dos concelhos de Vila Real, Sabrosa, Murça, Alijó, Mirandela, Macedo de Cavaleiros e Bragança.

Túnel do Marão: primeiro-ministro visitou "obra histórica"

O primeiro-ministro visitou hoje, pela terceira vez, as obras de construção da autoestrada do Marão, entre Amarante e Vila Real, onde já foram escavados metade dos 5,6 quilómetros do maior túnel rodoviário da Península Ibérica.

A primeira paragem foi no maior dos 14 viadutos do empreendimento, com 911 metros de extensão e 145 metros de altitude máxima, entrando depois em autocarro numa das bocas do túnel que atravessará a Serra do Marão.

José Sócrates salientou que esta obra "vai acabar com a ideia de que haverá pessoas para cá do Marão ou para lá do Marão".

"É uma obra histórica que ligará Trás-os-Montes à rede de autoestradas do país. É uma daquelas obras simbólicas que marcará um antes e um depois. Esta infraestrutura é essencial para dar a possibilidade a Trás-os-Montes de competir e atrair empresas e de ter uma economia mais próspera", afirmou.

O presidente do Conselho de Administração da Autoestrada do Marão, Francisco Silva, referiu que o prazo de conclusão da obra é novembro de 2012 e considerou ser "preciso uma grande tenacidade para levar a cabo esta obra".

Autoestrada do Marão junta-se à Autoestrada Transmontana

A Autoestrada do Marão vai juntar-se à Autoestrada Transmontana, entre Vila Real e Bragança, que permitirá reduzir a sinistralidade em 23%.

A comitiva governamental seguiu de autocarro pelo Itinerário Principal 4 (IP4) até Bragança, para observar o andamento da obra da Autoestrada Transmontana, que está a aproveitar 80%do traçado do atual itinerário, onde, na última década, 24 pessoas perderam a vida em média por ano.

As infraestruturas rodoviárias que estão em obra nos distritos de Vila Real, Bragança e Guarda, como a AE Transmontana, o Douro Interior e o Túnel do Marão representam um investimento de mais de dois mil milhões de euros e empregam cerca de 29 mil pessoas.
Fonte: Exame Espresso

Contra os bombeiros: ARS Norte também faz leis em matéria de isenção de taxas moderadoras

Ao interpretar abusivamente a legislação, com base na qual os bombeiros estão isentos das taxas moderadoras, a Administração Regional de Saúde Norte (ARSN), não só está a exorbitar das suas competências, como também, pelos vistos, pretender fazer “lei”.

Num documento produzido sobre as regras a cumprir no âmbito das taxas moderadoras, a ARSN estabelece, por sua alta recreação, que para beneficiarem de isenção, “consideram-se nesta alínea os bombeiros profissionais e voluntários no activo, bem como aqueles que se encontrando em inactividade, esta tiver resultado de acidente ocorrido no cumprimento das suas missões ou doença contraída ou agravada em serviço, desde que devidamente comprovada”.

A ARSN pretende, para já, substituir a legislação em vigor que define quem é abrangido pela isenção de taxas moderadoras e que se refere globalmente a “Bombeiros”, sem restrições de qualquer tipo.

Recorde-se, entretanto, que a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) foi solicitada pela Liga dos Bombeiros Portugueses em 2008, como já era entendimento desta, a aclarar se os bombeiros do quadro de honra e de reserva também são abrangidos pelo disposto na lei.

A ACSS, na sequência desse pedido, publicou a Circular Normativa Nº7, datada de 11.06.2008, distribuída por todas as administrações regionais de saúde, na qual se esclarece que a aplicação da isenção de taxas não pode restringir o emprego da expressão “bombeiros”. A ACSS conclui que, dado que o legislador não distingue, não cabe ao intérprete distinguir.

De modo contrário, pelos vistos, pretende a ARSN fazer.

Fonte: BP

Governo em peso em Trás-os-Montes


No âmbito da iniciativa do Governo Presente de 20011, José Sócrates cumpriu o segundo dia em Terras Transmontanas.

Esta iniciativa trouxe até terras transmontanas, além de Sócrates, os Ministros da Presidência, Trabalho, Justiça, Ambiente, Obras Publicas, Agricultura e Saúde, alem de alguns secretários de estado, pode dizer-se que o governo em peso demandou Trás-os-Montes, qual o motivo? Foi a questão que o DN colocou ao Ministro da Presidência "era uma iniciativa há muito programada e com ela pretendemos mostrar aos portugueses mais precisamente aos residentes nas localidades que visitamos as obras que efectivamente estamos a realizar em Trás os Montes as obras são estruturantes tanto no aspecto da rede viária como na questão energética, educação e novas tecnologias não vimos apresentar projectos mas obra no terreno" questionado ainda pelo DN se esta visita não terá a ver com a moção de censura do BE ou outras que eventualmente a oposição possa vir a apresentar Silva Pereira foi peremptório " não temos medo de moções de censura, esta do BE já tem o destino traçado, mas as populações não se deixam enganar e vêm no terreno as obras lançadas pelo Governo para o desenvolvimento não só das regiões mas também do País".

Mas neste segundo dia do Governo Presente, nem tudo foram boas noticias, José Sócrates anunciou em Bragança que a futura auto-estrada transmontana, que ligará Vila Real a Bragança, vai ter portagens como as SCUT, com isenção para os residentes. O primeiro-ministro que quando anunciou a sua construção a apresentou como auto-estrada da justiça afirmou que não teria portagens diz agora que este novo modelo resulta do acordo celebrado com o PSD para a aprovação do Orçamento do Estado para 2011.

Após o anuncio de portagens na auto estrada transmontana por parte do primeiro ministro o DN questionou o presidente da Câmara de Bragança, Jorge Nunes sobre o facto, este não se mostrou muito surpreendido afirmando " o que é primordial é que os residentes não paguem quanto aos outros concordo com o pagamento pois será de justiça que comparticipem na obra que visa desenvolver a região".

Ainda em Bragança o primeiro ministro e comitiva almoçaram com estudantes e jovens licenciados do Instituo Politécnico de Bragança e da Universidade de Trás os Montes e Alto Douro, a quem anunciou um investimento na região transmontana de 20 milhões de euros apelando aos jovens se tornem empreendedores e ajudem no desenvolvimento da região, referindo-se a todos como fazendo parte de uma a geração "mais educada e preparada de sempre".

Se Sócrates consegui passar sem contacto com as manifestação que os populares ontem organizaram em Murça e Vidago hoje em Bragança não consegui furtar-se ao protesto da Jovem Joana de 12 anos que foi junto do primeiro ministro reclamar contra o corte do subsidio na escola "cortaram as refeições gratuitas e o a comparticipação nos livros, mas a minha família não pode pagar" a este protesto o primeiro ministro respondeu com um sorriso e um afago na cabeça da menina e remeteu-a para o Presidente da Câmara de Bragança que não estava no local.
Fonte: JN

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Bombeiros exigem reunião urgente com o Governo devido a corte de verbas


Contactado pela Renascença, o Ministério da Administração Interna diz ainda ser cedo para se falar em cortes em actividades concretas e assegura que ainda está à procura de soluções.

"A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais [aNBP] lamenta a decisão do Governo de reduzir o número de meios aéreos no dispositivo de combate aos incêndios florestais previsto para 2011", refere um comunicado hoje divulgado. Perante esta medida, a ANBP decidiu solicitar, com "carácter de muita urgência", uma audiência ao ministro da Administração Interna, Rui Pereira.

O presidente da ANBP, Fernando Curto, diz que existem sectores onde não é possível fazer cortes, e teme que o desinvestimento anunciado pelo Ministério de Administração Interna (MAI) venha a ter consequências graves.

Presidente da ANBP preocupado com cortes
“Os meios aéreos representam uma lacuna muito grande naquilo que o dispositivo vem sofrendo ao longo dos anos, em termos de melhorias, e o flagelo pode remontar a situações idênticas às de anos anteriores, como 2002 ou 2005”, alerta Fernando Curto.

Em comunicado, a ANBP pede ainda que a tutela esclareça se os cortes “também abrangem os meios humanos, uma vez que os bombeiros que participaram no dispositivo em 2010 já recebiam a quantia miserável de 1,70 euros à hora para trabalharem além do que é permitido".

Contactado pela Renascença, o MAI diz ainda ser cedo para se falar em cortes em actividades concretas e assegura que ainda está à procura de soluções.

Fonte: RR

Resoluções sobre fim de pagamentos nas ambulâncias aprovadas

Cinco projectos de resolução que recomendam a revogação do despacho que impôs cortes no transporte de doentes não urgentes foram hoje aprovadas na Assembleia da República.

A bancada socialista ficou isolada no voto contra aos cinco projectos, mas seis deputados anunciaram declarações de voto.

PSD, CDS, BE, PCP e PEV defendem a revogação do despacho do Ministério da Saúde que alterou as regras no transporte de doentes não urgentes ao determinar a necessidade de condição de recursos para a realização do transporte. Esta norma, que depois foi suspensa por uma circular, está a causar confusão nas unidades de saúde e a levar a que doentes faltem a tratamentos por não terem possibilidades de pagar o transporte. Os socialistas argumentam que a regulamentação do despacho ainda está a ser trabalhada com os representantes dos bombeiros.

Fonte: Público

Novo nó à zona industrial de Macedo estimula negócio

Apesar de ainda ser provisório, o novo nó de acesso à Zona Industrial de Macedo de Cavaleiros já está a trazer mais valias a esta zona.

Os empresários reclamam, contudo outro tipo de infra-estruturas e receiam que a facilidade de acesso traga também o aumento da criminalidade, uma vez que é uma zona isolada e frequentemente alvo de assaltos.

Até há pouco tempo para chegar à Zona Industrial de Macedo de Cavaleiros era necessário entrar na freguesia da Amendoeira.

Em 2010, com o início das obras da A4 foi criado um nó de acesso, a partir do IP4.

Alguns empresários sediados na zona industrial consideram que um dos principais entraves ao desenvolvimento desta zona sempre foi o acesso.

“O acesso era o calcanhar de Aquiles e não sei até que ponto comprometeu algum investimento. Mesmo para nós era complicado fazer movimentar os carros pesados. O novo nó de acesso obviamente que melhora as entradas e saídas” refere Carlos Neto, um empresário ali estabelecido. “Acho que vai beneficiar bastante porque antes a entrada era muito fraca” considera outro.

Contudo os novos acessos fazem também os empresários pensar no possível aumento da criminalidade, uma vez que a zona já foi alvo de vários assaltos.

Reclamam por isso que haja mais vigilância.

Carlos Neto, está nesta há 8 anos já foi vítima de tentativa de assalto duas vezes, o que o levou a reforçar as medidas de segurança.

“Já tentaram duas vezes mas nunca concretizaram porque temos um sistema de vigilância bastante sofisticado” refere, acrescentando que “a zona industrial está muito exposta aos amigos do alheio”.

“Isto está numa zona que não nem grande vigilância, à noite é muito deserto” considera outro empresário.

Os incentivos dados pela câmara desde 1998 motivam o investimento da zona.

Mas alguns consideram que os lotes podiam ser um pouco mais caros e terem melhores condições.

“Tive possibilidade de comprar um lote de acordo com as minhas necessidades e a camra sempre se manifestou disponível” refere Carlos Neto. Já o outro empresário admite que “os terrenos são baratos embora as condições não sejam muito boas porque não tem passeios”.

O novo nó de acesso melhora as acessibilidades à Zona Industrial de Macedo de Cavaleiros mas ficam ainda a faltar outras infra-estruturas como passeios.

Fonte: CIR

Unidade Local de Saúde aprovada pela Governo

Foi hoje aprovada em conselho de ministros a criação da Unidade Local de Saúde do distrito de Bragança.

O Governo aprovou o decreto-lei que extingue o Centro Hospitalar do Nordeste e o Agrupamento dos Centros de Saúde do Nordeste, ao mesmo tempo que criou a Unidade Local de Saúde do Nordeste, com a natureza de entidade pública empresarial, e aprovou os respectivos estatutos.

Tal como a Brigantia já tinha avançado, esta unidade local de saúde vai abranger o distrito de Bragança e o concelho de Vila Nova de Foz Côa, no distrito da Guarda.

Em comunicado, a presidência do conselho de ministros diz que “esta decisão irá proporcionar mais-valias associadas à consolidação de cuidados de saúde decorrentes da integração de cuidados de saúde a prestar, nomeadamente através da criação de um processo clínico único, partilhado entre cuidados de saúde primários, cuidados hospitalares e cuidados continuado”.

Além disso, “viabiliza-se uma optimização da oferta dos serviços de urgência e dos cuidados de saúde programados, com uma gestão mais racionalizada da procura”.

Este modelo vai permitir ainda a possibilidade dos médicos hospitalares se deslocarem aos centros de saúde, para proporcionar maior acessibilidade aos utentes, evitando deslocações ao hospital, por vezes desnecessárias.

Fonte: Brigantia

Cirurgia inovadora no Hospital de Mirandela

O serviço de ambulatório do hospital de Mirandela foi hoje palco de uma intervenção cirúrgica às varizes por radiofrequência, feita pela primeira vez na região.

Trata-se de uma cirurgia curta de que praticamente não resultam cicatrizes.

A garantia é dada pela angiologista e cirurgiã vascular que introduziu o tratamento cirúrgico de varizes por radiofrequência no Hospital de Santo António, no Porto.

“Vim apresentar a técnica a este hospital. Não é inédita, já a fazemos no Hospital de Santo António há quase um ano e meio e nos Estados Unidos já se faz desde 1998” explica a médica, acrescentando que “é muito menos agressiva do que a técnica convencional”.

Maria do Sameiro Pereira salienta que esta técnica pode ser aplicada apenas com anestesia local, o que significa que o paciente tem alta imediatamente após o tratamento.

“O doente é operado e tem alta imediatamente após a operação e pode fazer a sua actividade normal no próprio dia e ir trabalhar no dia seguinte”.

Esta intervenção cirúrgica de tratamento das varizes foi apresentada hoje no hospital de Mirandela mas, devido à falta de equipamento, ainda não será aplicada no tratamento de doentes, sendo apenas dada formação aos médicos.

Entretanto, aproveitando a presença do presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Nordeste tentámos obter uma reacção ao facto do presidente da câmara de Mirandela ter acusado Henrique Capelas de dar o dito por não dito relativamente à promessa escrita de que iria ser colocado de novo o cirurgião na urgência.

Henrique Capelas limitou-se a dizer que este não é um assunto importante.

“Sobre coisas importantes e interessantes eu falo sempre de tudo, mas eu acho que esta não é uma questão importante” afirma.

Fonte: CIR

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Bombeiros desviam verbas de combate a fogos


O presidente da Associação de Bombeiros Voluntários e um comandante operacional distrital de operações de socorro do Alentejo são suspeitos de fraude, num processo remetido para o Ministério Público.

De acordo com a Polícia Judiciária, entre 2004 e 2008, os suspeitos desviaram dinheiro dos subsídios para pagamento de bombeiros no combate a incêndios florestais, atribuídos pela Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Além de sublinharem que o destino do dinheiro foi para “proveito dos próprios”, as autoridades estimam em cem mil euros o valor total da verba desviada.

No inquérito, iniciado em finais de 2009, foi recolhida centena de documentação e inquiridas dezenas de testemunhas.

Fonte: CM

Retrato dos estragos do mau tempo no país


A queda de uma parede, numa escola em Odivelas, é a consequência mais grave do mau tempo durante a madrugada de quinta-feira, no país. Pequenas inundações, devido à chuva, e inúmeras quedas de árvores, por acção do vento, mantiveram os bombeiros ocupados. Energia eléctrica restabelecida em quase todo o território.
A queda de uma parede de uma edifício numa escola em Caneças, Odivelas, obrigou ao encerramento do edifício, pelo menos, até ao meio-dia. Em consequência do vento, há, também, algumas telhas levantada naquele estabelecimento escolar.

Na Nazaré, a manhã é de trabalho, a limpar a areia na praça das esplanadas. "Foi preciso desmontar o palco que a câmara tinha instalado na praça, para o baile de Carnaval, no próximo fim-de-semana", disse fonte da autarquia.

Em Coimbra, a queda de árvores causou danos em pelo menos três viaturas e deu muito trabalho ao piquete da EDP.

No Grande Porto, o caso mais grave terá ocorrido na zona de Leça do Balio, onde caiu uma árvore de grande porte, danificando duas viaturas estacionadas, numa madrugada marcada por algumas inundações e queda de árvores, um dia depois de um condutor ter morrido quando uma árvore atingiu a viatura em que seguia.

Em Viseu, encontrando-se ainda duas estradas encerradas ao trânsito por causa da neve, mas a madrugada foi também difícil devido ao vento. O Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) registou a queda de 11 árvores no distrito, com maior número de ocorrências nos concelhos de Tondela e Santa Comba Dão.

Fonte: JN

Cruz Vermelha precisa de voluntários

Os jovens são os mais disponíveis para participar em iniciativas que têm como missão ajudar o próximo.
A delegação de Bragança da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) precisa de mais voluntários para participarem nas campanhas de recolha de alimentos ou na arrumação do armazém onde é feita a triagem dos alimentos, roupa e calçado, que são distribuídos a quem mais precisa.
Apesar dos jovens serem os mais disponíveis para ajudar na hora de recolher alimentos ou levar os bens a quem necessita deles para sobreviver, a CVP continua a necessitar de mais pessoas disponíveis para ajudar sempre que é preciso.
A informação foi avançada pela coordenadora do Voluntariado da delegação de Bragança da CVP, Ana Rita Cunha, na passada sexta-feira, durante uma iniciativa que teve como objectivo comemorar o dia da CVP e o Ano Europeu do Voluntariado. A acção culminou com um cordão humano que juntou estudantes das escolas de Bragança e diversas entidades da cidade, entre as quais o Governo Civil. “O voluntariado é uma das atitudes mais nobres dos cidadãos”, realçou o governador civil de Bragança, Jorge Gomes.
Ana Rita Cunha afirma que a CVP tem cerca de 30 voluntários activos na capital de distrito, mas precisa de mais pessoas para levar a cabo a sua missão. “Para além desta iniciativa, vamos desenvolver várias acções de angariação de voluntários nas escolas”, acrescenta.
Esta acção contou, ainda, com a presença da equipa “yes you can”, que está a participar nos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). Tatiana Santos, uma das cinco pessoas que integra esta missão, em Bragança, afirma que um dos objectivos é sensibilizar os jovens estudantes para a necessidade de lutar por um mundo melhor.

Fonte: Jornal Nordeste

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Fibra óptica chega ao interior

As Redes de Nova Geração devem chegar à região transmontana no próximo ano.

75 por cento do território nacional já está coberto pelas redes.

Na semana passada o Governo avançou com um investimento de 182 milhões de euros para alargar o projecto a 139 municípios do interior.

“Já contratualizámos com um conjunto de operadores a construção de infra-estruturas de comunicação chamas Redes de Nova Geração que são redes de fibra óptica” explica o secretário de estado das obras públicas e comunicações, acrescentando que “estes 139 municípios nunca tiveram investimento em redes de comunicação” e o objectivo é que “a rede que está a ser construída no litoral possa ser construída em simultâneo no interior”.

As previsões do Governo apontam para que em 2012 todo o país possa ficar com cobertura total.

“Essa construção será feita durante 2011 e 2012 e progressivamente os serviços serão oferecidos às populações” adianta.

Paulo Campos explica ainda que “com esta nova rede teremos acesso à internet em alta velocidade, permite a melhoria e a prestação de serviços inovadores nas áreas da saúde e educação”. Além disso, permite que produtos que já estão disponíveis nos grandes centros urbanos sejam também aqui disponibilizados com todos os serviços associados”.

Este investimento conta com um apoio de 106 milhões de euros da União Europeia.

Fonte: Brigantia

Serviço do CHNE distinguido com prémio nacional

A Via Verde da Sépsis, do Centro Hospitalar do Nordeste (CHNE), foi distinguida com o primeiro prémio de boas práticas em saúde.

O CHNE foi um dos hospitais pioneiros, a nível nacional, a implementar um sistema de resposta rápida às infecções generalizadas.

A coordenadora deste projecto explica que em pouco mais de um ano já é possível observar resultados positivos.

“Para além da diminuição da taxa de mortalidade há também a redução da taxa de internamento em unidade de cuidados intensivos, evitando que o doente progrida para uma forma mais grave da doença” afirma Cristina Nunes. “A maior parte dos doentes, cerca de 60% só precisaram de nível de cuidados de enfermaria médica ou cirúrgica, mas o que é certo é que deste que implementámos a Via Verde apenas 6% dos doentes precisaram de cuidados intensivos” acrescenta.

Em todo o Mundo, 22 por cento dos doentes internados em cuidados intensivos são afectados pela Sépsis.

Destes, 40 a 60 por cento acabam por morrer.

No hospital de Bragança, esta Via Verde da Sépsis permite fazer o diagnóstico da doença mais cedo e isso ajudou a reduzir a taxa de mortalidade para 16 por cento.

As causas são variadas e afectam novos e velhos.

“A Sépsis é uma infecção generalizada que pode ter origem numa infecção urinaria grave ou abdominal e que pelas especificidades do doente pode desenvolver uma forma mais grave de doença” explica a médica.

Cristina Nunes alerta para alguns sintomas a ter em conta.

“Um doente que tem febre muito elevada, tosse com alguns dias de evolução e até alguma dificuldade em respirar são sintomas para que possa ter uma infecção respiratória grave e que se pode enquadrar num quadro clínico de Sépsis” exemplifica realçando que “há outros conjuntos de sintomas que se encaixam dentro deste diagnóstico”.

Este projecto já permitiu alguns resultados positivos mas a coordenadora no CHNE diz que ainda há muito por fazer, sobretudo ao nível da formação “para que as pessoas interiorizem mais o diagnóstico e o tratamento”.

Apesar da inclusão das urgências médico-cirúrgicas neste projecto só estar prevista para 2011, o Centro Hospitalar iniciou a implementação da Via Verde da Sépsis em Novembro de 2009 e, até Dezembro de 2010, já tinham sido atendidos 194 pacientes.

O próximo passo é incluir cada vez mais doentes no sistema.

Fonte: Brigantia

Carta Aberta / Nota de Esclarecimento ao Corpo de Bombeiros Macedo de Cavaleiros


terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Governo decide manter apoio às Equipas de Intervenção Permanente


As associações humanitárias de bombeiros vão manter por mais três anos as suas Equipas de Intervenção Permanente (EIP), depois de o Governo considerar o modelo adequado, em portaria publicada hoje no Diário da República.

As EIP resultam da congregação de esforços entre a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), as câmaras municipais e as associações humanitárias de bombeiros.

Cada equipa é composta por cinco bombeiros e tem como principal missão o combate a incêndios e o socorro às populações em casos de acidentes e catástrofes.

Fonte: Lusa/Visão

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Manifestação do Corpo Activo de Macedo de Cavaleiros Escondida da População


Critical Software vence prémio europeu com plataforma do 112

A Critical Software venceu o prémio europeu de Excelência em Tecnologias de Informação (European IT Excellence Awards) pelo projecto de desenvolvimento da nova plataforma tecnológica que suporta o serviço de emergência 112 em Portugal.
Ao prémio, que visa "reconhecer o papel crucial" que os ISV (fornecedores independentes de software) desempenham na "resolução de problemas reais dos seus clientes", concorreram entidades de 23 países, disse à agência Lusa fonte da Critical Software.

Seleccionada para, em parceria com o Ministério da Administração Interna, reestruturar o funcionamento do serviço 112, "a Critical Software foi chamada a intervir no desenvolvimento de uma plataforma tecnológica que permitisse uma integração completa de vários sistemas e o reforço de toda a infra-estrutura de informação e comunicação", disse Filipe Freitas.

"A génese do sistema desenvolvido assenta na sua fiabilidade, disponibilidade e interoperabilidade, sempre com o intuito de prestar um melhor serviço no que toca à eficácia e eficiência na resposta a situações de emergência," sublinhou aquele responsável da empresa de Coimbra.

Fonte: Dinheiro Digital

Chuva, neve e vento deixam país sob alerta

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) accionou hoje às 14:00 o alerta Amarelo em Portugal continental devido à previsão de precipitação, queda de neve, vento forte e agitação marítima.
O alerta Amarelo, o segundo menos grave de uma escala de quatro, vai manter-se accionado até às 20h00 de quarta-feira, de acordo com a ANPC.

A protecção civil alerta, face às condições meteorológicas, para a possibilidade de piso rodoviário escorregadio, formação de lençóis de água, corte de estradas devido à queda de neve, possibilidade de cheias rápidas em meio urbano e possíveis acidentes na orla costeira.

O alerta Amarelo é accionado quando a «previsibilidade de ocorrência de fenómenos, que não sendo invulgares, podem representar um dano potencial para pessoas e bens», de acordo com a ANPC.

Nestas situações, o dispositivo de protecção civil e socorro reforça as actividades de monitorização e vigilância da situação e intensifica as acções preparatórias para as tarefas de intervenção.

O Instituto de Meteorologia prevê ainda para hoje aguaceiros, em especial nas regiões do norte e centro, queda de neve, vento com rajadas até 70 quilómetros por hora no litoral e rajadas até aos 90 quilómetros por hora nas terras altas.

Na costa ocidental as ondas podem chegar aos 5 a 6 metros a norte do Cabo Carvoeiro.

Lusa/SOL

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Bombeiros de Macedo Apelam à População


(clique na imagem para aumentar)

Fonte: http://www.bombeirosparasempre.blogspot.com/

Maioria das chamadas de emergência são falsas


Mais de 80 por cento das chamadas de emergência no distrito de Bragança são falsas.

O Governador Civil do distrito assumiu esta manhã que ainda há muita gente que liga para o 112 por brincadeira, ocupando meios que podem ser precisos em verdadeiras situações de emergência.

“Isto é dramático” considera Jorge Gomes. “As pessoas têm de perceber que quando isto acontece estamos a dispersar meios, a desviar atenções, a entupir linhas e pode aparecer um caso que é de facto de emergência e não consegue entrar no sistema porque está tudo interrompido” explica. Por isso apela “ao bom senso das pessoas e que percebam que o 112 existe para ajudar”.

Jorge Gomes falava à margem das comemorações do Dia Europeu do 112, que hoje se assinala.

Em toda a Europa já 27 países aderiram a este número de emergência, sem custos.

Mas 20 anos depois da sua criação, três em cada quatro cidadãos europeus ainda não sabem do que se trata.

Esta manhã, na praça Cavaleiro Ferreira, em Bragança, onde decorreram as comemorações, vários estudantes mostravam-se informados e interessados.

“Conheço, caso haja alguma emergência devemos ligar para esse número” afirma Francisco Rio. Já Simão Baptista salienta “o facto de ser uma linha gratuita é uma vantagem”.

Em Bragança, os mais velhos ainda conservam o hábito de ligar directamente para o quartel.

“São poucos os casos mas ainda há quem ligue directamente para os bombeiros sobretudo pessoas com mais idade porque antigamente não havia a linha” explica Paulo Ferro, dos bombeiros de Bragança, acrescentando que ao ligar para 112 “o CODU faz uma triagem melhor e sã accionados os meios mais indicados para aquele tipo de situação”.

Paralelamente às comemorações do dia Europeu do 112, a Cruz Vermelha juntou alunos de várias escolas num cordão humano, chamando a atenção para o ano europeu do voluntariado, que se assinala em 2011.

Fonte: Brigantia

Bombeiros feridos já tiveram alta

Os dois bombeiros que ficaram feridos no combate ao incêndio que deflagrou na passada sexta-feira no antigo edifício da RTP Açores, já tiveram alta e estão a recuperar.

Um dos homens partiu um braço e o outro sofreu escoriações, depois de caírem de uma escada que estava a ser usada no combate ao incêndio, que vergou ao meio, segundo explicou João Melo, comandante da Associação de Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada.
O incêndio deflagrou pelas 21h30, ainda por razões desconhecidas. O edifício, que estava em obras, ficou totalmente destruído no interior, mas não vai ser demolido, segundo João Melo.

Fonte: JornalDiario

Morte súbita: Fundação de Cardiologia defende aposta na prevenção

O presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia defende a criação de um programa nacional de prevenção da morte súbita, que mata mais de 20 pessoas por dia em Portugal, e um programa regional de dados em todo o país.

O alerta de Manuel Carrageta, na véspera de se assinalar o Dia Nacional do Doente Coronário (14 de Fevereiro), surge "devido ao elevado número de doentes que morrem subitamente. Estimamos que sejam mais de 20 por dia em Portugal".

Para o cardiologista, é "um número brutal" que exige que a população seja sensibilizada para este problema e tomadas "medidas no sentido de minimizar o número de mortos".

Segundo a Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), o programa nacional de prevenção da morte súbita deve proporcionar formação em suporte básico de vida ao maior número de pessoas.

"Não é suficiente haver paramédicos e bombeiros credenciados, é indispensável que a sua aprendizagem se estenda à população em geral", refere a FPC, que sugere ainda a "inclusão obrigatória" desta formação nos programas escolares anuais dos diversos graus de ensino.

A morte súbita é definida como sendo uma morte de causa natural, mas constitui a causa principal de morte nos países desenvolvidos, correspondendo a 20% de todas as mortes, com uma incidência de cerca de 1 por mil habitantes por ano.

Fonte: JN

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Queimaduras fora do seguro


As apólices dos seguros de vida dos bombeiros profissionais "não contemplam as queimaduras". A denúncia foi feita ontem por Fernando Curto, presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), explicando que "há um desfasamento entre as necessidades específicas dos bombeiros e a lei, não por culpa das câmaras municipais, mas por falta de legislação". Por isso, e aproveitando a revisão do Regime Jurídico do sector, que está actualmente a ser feita pelo Governo, os bombeiros profissionais pretendem que também inclua uma "uniformização dos seguros".

Fonte: CM

Falso cobrador dos BVV extorquiu 50 euros em Moreira

O presidente dos Voluntários de Vizela, Ilídio Costa, alerta a população para que não caia neste tipo de burla.

Alertado desta situação, Ilídio Costa, presidente dos Bombeiros vizelenses, revelou que “alguém, fazendo-se passar por cobrador dos Bombeiros, extorquiu 50 euros a uma pessoa nas imediações do Estádio do Moreirense”. Ao que tudo indica a pessoa deu uma nota de 50 euros ao alegado cobrador para pagar 12 euros. O falso cobrador disse que ia a um quisosque trocar a nota de 50 euros e não mais voltou.

Para que estas situações não se voltem a repetir, Ilídio Costa, deixa o apelo para que “a população não dê dinheiro a ninguém que se faça passar por bombeiro ou cobrador da Associação Humanitária”.

Uma vez mais, convém referir que sempre que são feitos peditórios os Bombeiros anunciam esta situação antecipadamente e quais os motivos do mesmo.

Os Bombeiros Voluntários de Vizela informam ainda que os peditórios são feitos por bombeiros devidamente fardados ou pelas comissões das respectivas freguesias. De salientar ainda que a população é conhecedora do cobrador da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela.

Fonte: Rádio Vizela

Encontrado corpo de mulher desaparecida há oito anos

As ossadas de uma mulher dada como desaparecida há de oito anos foram encontradas a cerca de 20 metros da viatura que conduzia abaixo da estrada de ligação Encumeada-Paul da Serra, na Madeira.

O carro estava escondido debaixo do matagal e foi encontrado sexta-feira por um trabalhador de uma obra naquela zona junto à saída do primeiro túnel naquela via.

Posteriormente, os Bombeiros da Ribeira Brava localizaram o corpo da mulher, tudo indicando tratar-se da mesma pessoa que foi dada como desaparecida a 2 de Março de 2003, dia em que saiu de casa no Porto Moniz e nunca mais foi vista.

No local estiveram a PSP e a Polícia Judiciária que tomou conta da ocorrência.

Fonte: JN

Imposto Único de Circulação: Bombeiros passam a estar abrangidos


As viaturas que não tenham averbado nos seus documentos a menção de veículo especial de bombeiros ou, apenas, de veículo especial, não obstante poderem pertencer a associações de bombeiros, deixam de estar isentas de Imposto Único de Circulação (IUC).

Essa alteração prende-se com o facto da lei do Orçamento de Estado para 2011 eliminar o benefício de isenção do IUC dos veículos propriedade das pessoas colectivas de utilidade pública, em geral.

A isenção mantém-se, no entanto, para as viaturas propriedade das associações de bombeiros que se destinem ao cumprimento das missões de socorro atribuídas aos corpos de bombeiros, desde que essa função fique averbada nos documentos. Recorde-se que, nem sempre, os documentos atestam a missão da viatura, situação que agora deixa de ser contornável.

Enquadram-se nas missões de protecção, socorro, assistência, apoio e combate a incêndios, nos termos do Despacho nº 21638/2009 do presidente da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), os veículos de socorro e assistência a doentes, os veículos de operações específicas, de transporte de pessoal, de comando operacional, para protecção de bens e assistência, veículos de técnicas de socorro e assistência, com meios elevatórios, apoio logístico (incluindo autotanques) e veículos de combate a incêndios.

Fonte: BP

“Os bombeiros voluntários são para mim uma referência”


O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, concedeu uma entrevista ao jornal “Bombeiros de Portugal” a propósito do Ano Europeu do Voluntariado 2011.

Na entrevista, inserida na edição de Fevereiro a sair no próximo dia 17, Durão Barroso sublinha que “os bombeiros voluntários são para mim uma referência”. Na entrevista, Durão Barroso realça a importância do voluntariado nos bombeiros portugueses, como uma demonstração evidente de maturidade das comunidades locais, de organização e resposta às suas necessidades, e um exemplo a divulgar, no âmbito da troca de experiências entre as organizações e os Estados Membros da CE que o Ano Europeu do Voluntariado 2011 vai proporcionar.

Fonte: BP

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Bombeiros preocupados com redução nos meios aéreos de combate às chamas

Jaime Marta Soares, presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Coimbra manifestou preocupação em relação à redução de verbas para meios aéreos de combate às chamas.

O presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Coimbra, Jaime Marta Soares, manifestou-se preocupado com a redução de verbas para pagamento de meios aéreos para combate aos incêndios florestais.

Em comunicado distribuído pelas redacções, a Federação de Bombeiros do Distrito de Coimbra manifesta «estupefacção e incompreensão» perante uma decisão «tão preocupante como perigosa».

Fonte: BP

Bombeiros do distrito de Bragança contra direcção clínica do CHNE.


Está aberta a guerra entre a Federação de Bombeiros do Distrito de Bragança e o director clínico do centro hospitalar do Nordeste. Em causa está o transporte de doentes no distrito de Bragança.
Humberto Martins, o presidente da Federação distrital de Bombeiros, acusa o director clínico do Centro Hospitalar do Nordeste de estar a criar entraves à população.

“Os médicos passam efectivamente a requisição do transporte de doentes e depois há um director clínico que depois corta e diz que o doente não tem direito. Isto é que é motivo de preocupação e nos levou a tomar uma resolução e pedir ao senhor Governador Civil que faça aplicar a lei, isto é, desde que haja requisição, que a mesma tenha aplicação e ninguém ande com cortes e meios cortes.”

Humberto Martins diz que esta atitude traz vários problemas às associações de bombeiros e cria desconfiança nas populações.

“Se os bombeiros fazem transporte e depois a credencial vem rejeitada, repare na situação que se cria. Temos de mandar uma carta ao doente a pedir o pagamento mas ele responde que tinha credencial. Temos de explicar que foi o director clínico que rejeitou. Se a situação se deteriora, as associações de bombeiros deixam de ter condições para ter tantos assalariados e cria desconfiança nas populações em relação aos bombeiros. Isto parece uma anedota”, sublinha.

Ora, confrontado com estas declarações, o director clínico do CHNE, Sampaio da Veiga, responde assim.

“Não respondo a comunicados nem faço comentários em contraditório com os bombeiros, que têm dado o seu esforço às populações do Nordeste. Mas estamos a falar de uma legislação que não é recente mas que teve há pouco tempo novas orientações e fundamentam-se na informação clínica. Todas as situações em que a situação clínica descritas pelo médico no processo clínico e plasmada no pedido, são autorizadas. As que não cumprem, não são”, explica.

Sampaio da Veiga deixa ainda entender que alguns cortes se devem a falta de rigor e a informação deficientemente transmitida pelos médicos na ficha dos doentes.

“Não há nenhum corte cego, não cortámos transporte a ninguém que não tinha justificação. Como se explica a diferença de avaliação entre o médico e o director clínico? Não sei, tem de perguntar aos médicos”, responde Sampaio da Veiga. “Limito-me a cumprir o que veio estatuído na última comunicação do senhor Secretário de Estado. Todos temos de ser mais rigorosos naquilo que fazemos. Não pode haver alterações verbais, minimalistas na escrita. Tem de haver um registo correcto, completo, perfeito e tem de bater a bota com a perdigota. Não se pode escrever uma coisa num papel de requisição e não ter a mesma informação no registo clínico.” Uma comunicação interna do CHNE a que tivemos acesso estabelece os critérios de autorização de transporte de doentes.

De acordo com o documento, assinado pelo presidente do conselho de administração, indicam-se sete situações preferenciais no transporte de doentes. Doenças do foro oncológico que incapacitem para outra forma de transporte, como o autocarro, por exemplo, doenças neuromusculares de origem genética que incapacitem o paciente, doentes com sequelas motoras de doenças neurológicas e neurovasculares, iminência de parto e apoio à mãe e recém-nascido, grandes acamados quando se justifique e doentes com problemas no sistema imunitário.

Há ainda situações de excepção para residentes a menos de 20 quilómetros, como doentes de hemodiálise ou submetidos a transplante.

Recorde-se que desde o início deste ano, um despacho do secretário de Estado da Saúde alterou a forma de comparticipação de transporte aos doentes, indicando que apenas com justificação médica e quem ganhasse menos do que o salário mínimo teria direito.

Mais tarde, o Ministério da Saúde clarificou o despacho, deixando cair a questão dos rendimentos, alegadamente por dificuldades técnicas no cálculo.

No entanto, a Liga de Bombeiros portugueses continua a bater-se pela revogação desta medida, defendendo que prejudica os doentes e põe em causa uma importante fonte de rendimentos para os bombeiros.

Fonte: Brigantia